05 de Dezembro de 2020

Hamilton, o gigante esmeraldino: ‘Vamos nos empenhar para subir na tabela’

Mais que um jogador: um ídolo. Mais que um ídolo: um mito do futebol amazonense em plena atividade. Isso é o que o camisa 25, do MANAUSFC, o atacante Hamilton Sá, representa para a torcida esmeraldina. A idolatria é plenamente justificada pela própria história do jogador, bem como, seus feitos em campo. Um talento genuinamente local que despontou nos campos de pelada da periferia para o estrelato do futebol profissional.

Avesso aos microfones, desde sempre, Hamilton deixa que o futebol fale por ele.  E quando o assunto é a bola no pé, ou na cabeça - com jogadas aéreas quase sempre mortais para os adversários -, o atacante transforma futebol em poesia.

A história de sucesso de Hamilton no futebol se confunde com a própria ascensão do Gavião do Norte. Ele se tornou jogador do clube em 2017, após ser aprovado num teste. Antes disso, o atleta – que tem 1,91 metros de altura – tentou a sorte como goleiro e chegou a integrar o elenco do Fast Clube. Sem receber oportunidades, deixou os gramados para disputar jogos nos campeonatos amadores da cidade. No “terrão”, Hamilton se tornou artilheiro.

Em 2017, já como jogador de linha, fez sua estreia no Gavião do Norte, contra o Nacional, no Campeonato Amazonense. Ele só entrou em campo aos 30 minutos do segundo tempo. O Leão da Vila Municipal venceu por 2 a 1.  O “Mito” seguiu entrando no decorrer da partida – aos 26 minutos do segundo tempo -, na segunda rodada, desta vez contra o Rio Negro. O confronto terminou com vitória do Gavião por 2 a 0.

O jogador só recebeu a oportunidade para ser titular na terceira rodada, contra o São Raimundo. Por essas adoráveis coincidências do destino, o camisa 25, entrou jogando no dia 25 de março de 2017. E foi no estádio da Colina, casa do rival, que Hamilton fez um _hat-trick_. A atuação deixou todos de “boca aberta”. Dali em diante, todos queriam saber quem era aquele grandalhão com faro de gols. Hamilton saiu sem dar entrevistas após a goleada por 4 a 0, se tornando o homem “mais procurado” pela imprensa amazonense nas 24 horas seguintes. Era o início de uma das trajetórias mais fulminantes do futebol baré.

Naquele ano, o MANAUSFC conquistou o primeiro dos três títulos que tem no Campeonato Amazonense -2017, 2018 e 2019. Em 2019, o gigante foi uma das peças fundamentais na histórica campanha que rendeu ao esmeraldino o acesso para a Série C. Uma caminhada de sucesso que ele afirma jamais ter sonhado em toda a sua vida.

“Eu não imaginava que ia acontecer, mas sinto que sou importante para o Manaus, assim como o Manaus é importante para mim. Do jeito que eu puder ajudar a equipe, eu vou ajudar da melhor maneira e bola pra frente. Tem muito campeonato pra rodar e se Deus quiser vamos alcançar nossos objetivos”, ressalta o atacante.

Assim como aconteceu no Campeonato Amazonense de 2017, Hamilton não começou a Série C como titular, a vaga conquistada no decorrer do torneio. Desde que passou a ser utilizado já marcou dois gols e deu uma assistência.

Contra o Botafogo

Hamilton, o gigante esmeraldino: ‘Vamos nos empenhar para subir na tabela’

Sobre o confronto diante do Botafogo (PB) – que vem de vitória em cima do Ferroviário (CE) - nesta segunda-feira, 19/10, às 19h (horário de Manaus), na Arena da Amazônia, Hamilton espera conquistar uma vitória. “O time (Botafogo) que vem de vitória vem confiante, mas a gente vem trabalhando e se Deus quiser as oportunidades que a gente tiver vamos aproveitar para conseguir os três pontos”, disse o camisa 25, ressaltando ainda a importância dos torcedores na guerra que é o Brasileirão da Série C. “A torcida é muito importante para nós, e infelizmente, não está podendo comparecer nos estádios. Mas é pensamento positivo, que vamos nos empenhar ainda mais nesses dois jogos dentro de casa para a gente dar uma subida na tabela”, comentou.

Eterno

Pelo que já fez pelo MANAUSFC e pelo futebol amazonense, Hamilton já tem um lugar cativo na história. Inclusive este ano ele foi homenageado no projeto “Semente do Esporte”, idealizado pela Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar), em que plantou uma árvore que ganhou o nome dele, nos arredores do estádio da Colina, onde surgiu para o futebol profissional.

“Para mim foi uma honra estar sendo homenageado e estar entre os grandes jogadores amazonenses. Craques como Delmo e a rapaziada mais antiga. Eu fico sem palavras. Para mim é uma honra”, diz.

Diversão

Econômico com as palavras na hora de falar, Hamilton revela que gosta, sim, de uma boa resenha, só que no WhatsApp. “Gosto de jogar conversa fora com a galera no WhatsApp. Lá a resenha rola solta com a galera”, revela. E o outro hobby. “Jogar PS4 (vídeo game PlayStation 4)”, brinca.  

 

Deixe seu comentario

Patrocinadores